Primeiro, antes de qualquer forma, atávico, vem o barro...

De seu volume se contornam saliências, buracos, fissuras, concavidades. Tudo isso na terra, estrato universal, origem da argila, das pedras, dos sais, repouso daquilo que degenera,  lugar para carvões. Sendo a argila,  terra em sua manifestação mais plástica, temos o barro como  fonte daquilo que a mão humana vai definindo como forma. Endurecida, estratificada, a matéria original sujeita a todos que dela dependem. Às formas originais atribuímos significados: os corpos das imagens moldados se tornam fontes para compreensão das necessidades da própria vida.  Fazer da plasticidade da terra outra coisa que não um corpo que vitalmente necessito é libertar da massa sem amorfa um objeto formal dotado de poderes.