To play, press and hold the enter key. To stop, release the enter key.

press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom

"Pura e inalterada força feminina é o tema reinante no trabalho da artista: despojado de beleza ideal ou ornamentos".

 

Fernanda Brum é uma artista brasileira de Porto Alegre que trabalha com vários materiais e mídias para explorar a aparência do corpo como meio de expressão, focando especialmente na forma feminina e no lugar da mulher na sociedade; um tema que está fortemente atrelado às suas experiencias e engajamento político no Brasil atual.

 

Brum explora a ancestralidade e a aparência fantástica de personagens femininos característicos para criar um universo onírico onde mulheres são protagonistas. Da enrugada e misteriosa anciã à menina indefesa, a história é profundamente feminina em sua essência, tanto em narrativa como em expressão. 

 

Atualmente ela usa a escultura como meio para traduzir seu interesse na forma feminina e dar vida para esses seres que provém tanto da imaginação quanto de uma realidade chocante, quase negligenciada. 

 

Profundamente ligada a aspectos misteriosos e sutis da vida, a artista trabalha com materiais naturais tanto em procedência quanto palheta. Usando bronze e cerâmica como materiais principais, Brum adiciona profundidade com o uso de elementos orgânicos como cabelo, conchas, sementes, palha e ossos que, combinados, criam objetos envoltos em misticismo.

 

Brum leva sua energia de inspiração feminina para a área política, engajando-se no movimento feminista - uma força em crescimento no cenário brasileiro devido aos retrocessos nos direitos das mulheres aos seus próprios corpos, deflagrados pela influência da religião no congresso nacional e no governo do país.

 

Com seu engajamento neste movimento, Brum vê uma guerreira renascida: de um corpo controlado pelas expectativas da sociedade, uma "Guerreira" surge de cinzas, liberta, mais forte do que nunca.  

 

 

Texto: Bijú Belinky / Fotos: Coleção da Artista / Modelo: Marina Makemba)